Comida de bebê: brócolis orgânico e purê de espinafre

Primeira infância

Adoção de alimentos sólidos – uma conversa com a nutricionista profissional Lucy Jones

Por 

B: Quais são os melhores alimentos sólidos para começar a dar a um bebê e por quê?

L.J., NP: Não existem regras rígidas quando se trata do desmame, o que muitos pais acham frustrante, pois eles buscam informações definidas (e não queremos dar o conselho errado). Mas a verdade é que muitos alimentos são excelentes para iniciar a alimentação sólida. Alguns preferem petiscos como palitos de biscoito sem sal ou cenouras bem cozidas, outros preferem cremes como bananas amassadas, maçãs cozidas ou purê de batatas para dar de colher. O importante é oferecer uma variedade de alimentos e começar com pouca quantidade para não empanturrar o bebê. Escolha um bom momento do dia (silencioso, sem muita agitação nem cansaço) e continue oferecendo alimentos diversos durante semanas e meses (mesmo se houver recusa, pois demora para começar a gostar da comida). Lembre-se, não se estresse na hora das refeições, pois isso pode diminuir a vontade da criança comer.

B: Quais nutrientes os pais devem se preocupar em dar a seus filhos?

L.J., NP: O leite materno fornece tudo em termos de energia, nutrientes e líquidos de que o seu bebê precisa para crescer e se desenvolver com saúde durante os primeiros 6 meses de vida. É importante esperar para introduzir os alimentos depois dos 6 meses. Isso porque os estoques de nutrientes essenciais, como ferro, precisam ser renovados. As necessidades desses nutrientes aumentaram para o bebê e o leite não dá conta de fornecer tudo sozinho. Porém, é importante introduzir proteína e alimentos ricos em ferro, como carne, peixe, ovos e feijões, além de frutas e verduras. A melhor maneira de atender às necessidades nutricionais do bebê é oferecendo alimentos variados de cada grupo alimentar.

B: E se os pais não acharem que o bebê está recebendo uma quantidade ideal de nutrientes?

L.J., NP: Muitos pais se preocupam por seus bebês não comerem o suficiente, mas é preciso lembrar que, até que eles completem 1 ano, a amamentação continua sendo uma grande fonte de nutrição, atendendo muitas de suas necessidades. O principal objetivo da introdução de alimentos sólidos é estabelecer bons hábitos alimentares, isto é, oferecer alimentos regularmente, sem estresse ou inquietação, permitindo que a criança se acostume com a comida em seu próprio tempo. Não obrigue a comer! Tente estipular as doses alimentares para o período de uma semana em vez de diariamente, pois as crianças pequenas tendem a comer mais em alguns dias do que outros, o que é normal.

B: O que os pais devem perguntar ao pediatra em relação à nutrição do bebê?

L.J., NP: Os pediatras podem ajudar a entender como a alimentação pode influenciar algumas enfermidades infantis comuns, como dermatite, constipação ou alergias. É sempre recomendado consultar o pediatra em caso de qualquer preocupação. Ele também pode encaminhá-lo para um especialista para dar mais suporte caso a manha para comer se torne excessiva ou muito duradoura (considerando que a manha para comer é totalmente normal entre 1 e 3 anos, e a maioria das crianças passa dessa fase naturalmente).